Sobre Wall Street e Tiranossauros

 

Há mais ou menos 65 milhões de anos os Tiranossauros reinavam supremos sobre a Terra. Com presas imensas, um tamanho descomunal e uma capacidade de caça incomparável, ninguém podia com eles. Os mamíferos eram minúsculos, viviam nas sombras, se moviam em silêncio, estavam na base da cadeia alimentar.

Subitamente algo aconteceu. Um meteoro, como um gigantesco Deus ex Machina, se chocou com a Terra levantando uma nuvem imensa de poeira, que tapou o sol por meses, matou as plantas, os imensos dinossauros herbívoros que delas se alimentavam, e conseqüentemente, o Tiranossauro e outros grandes predadores. Os pequenos roedores pré-históricos, que nunca desenvolveram grandes presas ou porte respeitável, haviam aprendido a ser furtivos, a precisar de pouco, a se multiplicar rapidamente. Eles herdaram a Terra.

A beleza infinita da teoria da Evolução de Darwin é que ela pode ser aplicada a qualquer modelo ou organização de espécies desse ou de qualquer planeta onde a vida possa eventualmente figurar. A sociedade humana não é exceção alguma. E por isso eu não estou nem um pouco pessimista – talvez um pouco furioso apenas – com o que ocorreu na ultima madrugada.

Dessa vez até quem só lê Estado de São Paulo está sabendo. Desocuparam Wall Street. NA MARRA. Como hienas, centenas e centenas de policiais cercaram os acampamentos no meio da madrugada (1h20 da manha), ameaçando prender todo aquele que não juntasse suas coisas e saísse em cerca de 20 minutos. Pelo menos 200 pessoas foram presas durante a operação, e o mais interessante é que quase metade desse numero não é representado por acampantes, e sim pessoas das imediações que se indignaram e foram interceder por eles.

Vale dizer que essa não foi a primeira vez que a prefeitura de NYC tentou desocupar a praça. No dia 15 de outubro uma grande operação foi montada, mas eles cometeram o erro de “dar bandeira demais” e acabaram tendo duas mil pessoas não-acampantes encarando de frente a polícia. O prefeito recuou, é claro. Mas aprendeu a lição.

Sendo silenciosa e rápida o bastante, a operação da ultima madrugada fez o que a primeira não conseguiu: Se esquivar furtivamente de uma imensa massa da população de NY que APOIA o movimento. Limpou a Praça da Liberdade rápido o bastante para impedir um imenso enfrentamento publico.

A prefeitura de NY estava esperando um bom motivo para remover a ocupação faz semanas. Mas esse motivo não apareceu: A ocupação foi pacífica, organizada e conquistou rapidamente a simpatia da população de sua cidade e do resto do mundo. A coisa complicou. Como convencer a população de que o cassetete era necessário para preservar a ordem publica, se a ordem publica não havia sido agredida?

O prefeito apelou então para o plano B: A mentira, o silencio. Vamos atacar de madrugada, ele pensou. Vamos fazer isso sem ninguém ver. As centenas de policiais da operação não apenas bloquearam diversas estações de metro e a ponte do Brooklin, para isolar a área: Eles impediram qualquer repórter de se aproximar do local.

Agora, vamos ao questionamento óbvio: Se a policia atende aos interesses do povo (e a maioria da população da cidade apoiava o acampamento), por que agir na calada da noite, longe dos olhos da imprensa e da opinião publica? Por que esconder tudo dessa maneira?

A resposta é uma só: A policia NÃO ATENDE AOS INTERESSES DO POVO. O policial é um ser humano, e ele individualmente atende apenas ao interesse do empregador. O empregador, por sua vez, atende ao interesse do governo. E o governo por sua vez, atende ao interesse do empresário que suborna, que patrocina suas campanhas. Não tem povo aqui. O povo estava na praça, sendo arrastado para a traseira dos furgões.

Infelizmente para eles, as barracas estavam cheias de computadores com webcam. Cada manifestante possuía um celular com câmera, a expulsão foi documentada ao vivo. Foi gerado mais material sobre o assunto, na forma de fotos, vídeos e relatos, do que todas as emissoras do mundo todo conseguiriam exibir por meses.

Abaixo uma reportagem interessante que recebi sobre a brutalidade da policia documentada por essas cameras e celulares. A reportagem foca não apenas a expulsão de Wall Street mas também as expulsões de Seattle e São Francisco que ocorreram quase ao mesmo tempo :

http://rt.com/usa/news/police-occupy-seattle-francisco-503/

O senhor da foto acima tem 84 anos e foi atingido com spray de pimenta. Seu nome é Doril Rainey. Algumas grávidas e adolescentes também foram agredidos de forma semelhante.

Abaixo uma reportagem interessante sobre como a policia tentou esconder a destruição do acampamento, além de ter saqueado a biblioteca montada pela ocupação:

http://www.viomundo.com.br/politica/heloisa-villela-policia-de-ny-tentou-impedir-a-midia-de-registrar-a-destruicao-de-acampamento.html?awesm=fbshare.me_Aeztf&utm_campaign&utm_medium=fbshare.me-facebook-post&utm_source=facebook.com&utm_content=fbshare-js-large&fb_source=message

A informação vazou.

Como reagir a isso?

Bom, o próximo passo é usar um bom lobby sobre as empresas responsáveis pelos grandes veículos de comunicação. Isso está sendo feito nesse exato momento. Eles não precisam convencer TODO MUNDO, apenas uma parcela da população grande o bastante para que os indignados sejam vistos como fogo de palha. Os donos do mundo de hoje não tem tempo para ler blogs ou assistir Youtube, eles estão ocupados demais trabalhando e fazendo o mundo girar.

Observando a situação não é difícil traçar o Modus operandi de nossos inimigos. Como eles SEMPRE vão nos enfrentar, pois foi como fizeram (e funcionou) por séculos:

1- FORÇA FISICA

2- BOICOTE DE INFORMAÇÃO

(alguma semelhança com a desocupação da reitoria da USP na semana passada é mera coincidência)

FORÇA foi o único recurso necessário para dominar o povo durante séculos de existência humana. Quando nasceu a democracia (ou pelo menos o ideal de democracia) nasceu uma forma de dominação ainda maior: A INFORMAÇÃO.

Se a vontade da população define o governo, manipulando a vontade da população se manipula o governo. Bingo.

Só que da mesma forma que o Tiranossauro fazia quando reinava supremo, nosso inimigo se acostumou a usar os recursos que possui a seu favor. Ele se acostumou a estar por cima. Por isso mesmo agora nosso inimigo abriu uma imensa brecha estratégica. O espaço na armadura onde nós vamos cravar nosso golpe.

A internet veio como um meteoro e se chocou contra seu mundo de certezas cenográficas. E a responsabilidade de usar esse novo recurso reside em cada um de nós. Sem exceção.

A teoria da evolução atesta que as espécies que melhor se adaptam a um ambiente acabam vigorando, espalhando melhor seus genes, prevalecendo. A constante mudança de ambientes provoca subseqüente constante mudança de espécies dominantes. É por isso que esse espaço geográfico urbano onde você mora não está cheio de Alossauros ou Tigres Dentes de Sabre. O que é força em um momento se torna fraqueza no momento seguinte.

Nós somos a próxima espécie. Nos vamos herdar o planeta.

Se a vontade da população define o governo, RETOMANDO o controle sobre a comunicação, levaremos a verdade para a população. Assim retomaremos o governo.

O que nós devemos fazer?

1 – QUANDO DECIDIREM USAR FORÇA CONTRA NÓS, TEMOS QUE DENUNCIAR, DOCUMENTAR, TORNAR SUA VIOLÊNCIA PUBLICA. EXPOR SUA FEIURA. PARA ISSO PRECISAMOS SER IMPECÁVEIS. NÃO DAR MOTIVO. NUNCA BATER PRIMEIRO

2 – QUANDO ELES MENTIREM, QUANDO DISTORCEREM A INFORMAÇÃO, TEMOS QUE ASSUMIR O PAPEL QUE A MÌDIA NEGLIGENCIOU. ESCREVER. FALAR. COMUNICAR O ESCONDIDO.

Ao menos que eles “desliguem a internet”, o que não é possível simplesmente porque o sistema que alimenta o poder DELES já depende muito dessa tecnologia, eles não tem como enfrentar isso.

E não nos esqueçamos de que apenas 10% da população do planeta tem acesso à internet. Ela sozinha não bastará. Teremos que falar com as pessoas, criar redes, envolver, continuar indo às ruas, chamando a atenção. Pressionando.

O uso constante dessa tática, a repetição, a insistência, vai acabar vencendo. E se eles criarem um recurso novo, que não está sendo considerado, nós somos maioria. Nós temos menos a perder. Nós formularemos um contra-ataque.

Hoje nós não somos exatamente 99%. Somos uma minoria desses 99% que acordou. Por meio dessa tática, nós vamos aumentar nossos números. Vamos fazer jus ao nosso slogan. Hoje a caneta é mais forte do que a espada, mas tem gente demais usando a caneta contra nós, precisamos aumentar nossos números.

No momento que conseguirmos, no momento que o domínio da informação for nosso, nós teremos que lidar com outro tipo de problema: Eles ainda terão a força. E encurralados, eles nos enfrentarão.

Não se enganem. Dificilmente essa etapa do processo será pacifica. Eu adoraria dizer que sim, mas não posso prometer isso. Mas SE em algum momento nós tivermos que soltar a caneta e segurar a espada, nesse momento nós seremos MESMO uma maioria absoluta.

Nossas multidões terão se erguido por toda a parte, em números infinitamente maiores do que os que se ergueram no dia 15-10 ou no 11-11. E nesse momento, nós vamos vencer.

Hora de segurar a caneta…

Nós temos um mundo para retomar…

…..

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s